fbpx

4 Ps do Marketing: conceito e vários exemplos (2022)

Os 4 Ps do marketing é um conceito bem conhecido entre os profissionais de marketing e empreendedores que querem ter sucesso no marketing para negócios de forma geral.

E se você está pensando que os 4 Ps, Mix de Marketing ou Composto de Marketing como também é conhecido, serve apenas para grandes empresas está muito enganado.



Ele é ainda mais essencial para empresas de pequeno a médio porte, ou até mesmo você que está pensando em abrir um negócio, isso porque ele irá te proporcionar uma visão mais estratégica e ampla do seu negócio, e desta forma, você conseguirá obter insights valiosos e saber exatamente qual caminho trilhar para o sucesso.

Ficou curioso?

Continue a leitura e aprenda tudo sobre os 4 ps do marketing, como:

  • O que são os 4 Ps do marketing?
  • Exemplos dos 4 ps do marketing em grandes empresas
  • Como surgiu o conceito dos 4 Ps do Marketing?
  • Afinal, qual a importância do composto de marketing?

Preparado? Então vamos lá.

O que são os 4 Ps do marketing?

Primeiro, vamos entender o que são os 4 Ps do marketing.

Como já citamos, ele é um conceito bem conhecido e difundido no mercado de marketing de forma geral, e o mesmo se resume a 4 pilares básicos de qualquer estratégia de marketing, sendo:

  • Produto;
  • Preço;
  • Praça;
  • Promoção.

O foco por trás da teoria é que ao entender cada um desses tópicos e realizar as ações certas, mais resultados a empresa tende a apresentar quando o assunto é marketing e vendas. 



Isso porque como já sabemos o marketing desde sempre é essencial para, literalmente, qualquer negócio. Aliás, se você não investe em marketing, como as pessoas saberão de sua existência?

“Ah mas o meu negócio é divulgação boca a boca”, legal, mas isso não deixa de ser marketing, inclusive esta estratégia se chama “marketing boca a boca”.

Ter uma estratégia de marketing é fundamental, principalmente de marketing digital, aliás, praticamente todo o mundo está conectado e a aplicação dos 4 ps irá te ajudar muito na hora do planejamento.

E como já disse o grande fundador da Microsoft, Bill Gates: “Em dois anos vão existir dois tipos de empresas: as que fazem negócios pela internet e as que estão fora dos negócios.”

Bom, sem mais delongas, bora entender a fundo o que são os 4 ps de forma mais detalhada.

P de Produto

O produto nada mais é o que o negócio vende.

Ou seja, se você é dono de uma livraria, seu produto é o livro, da mesma forma que se você tem uma loja de roupas, seu produto são os vestidos e todas as outras peças.

Vale lembrar que apesar do nome ser “produto”, vale da mesma forma para serviços e até mesmo empresas que vendem software.

Por isso esse conceito serve para todo e qualquer tipo de produto, seja ele físico, digital ou até mesmo serviços como já vimos.  

Segundo o clássico livro Princípios de Marketing, de Kotler e Gary Armstrong, “produto é algo que pode ser oferecido a um mercado para apreciação, aquisição, uso ou consumo e para satisfazer um desejo ou uma necessidade”.

De forma simples e resumida, o produto é tudo aquilo que é disponibilizado ao consumidor, pensando em satisfazer as necessidades de um determinado público-alvo.



Dentro deste P de produto, pode entrar particularidades como:

  • Design;
  • Forma;
  • Embalagem;
  • Qualidade;
  • Garantia;
  • Serviços;
  • Entre outros.

Na metodologia dos 4 Ps do marketing, ter essa definição significa entender o que de fato o seu produto oferece para a sua audiência e o que o diferencia de seus concorrentes.

O que torna seu produto único? 

O que torna o seu produto a melhor opção do mercado para os seus consumidores?

Que funções esse produto precisa ter para chamar a atenção?

Qual o diferencial do seu produto?

Responder essas perguntas é vital para você conseguir conquistar ainda mais clientes. E sim, para respondê-las você precisa antes de qualquer coisa conhecer muito bem o seu público-alvo, para entender de verdade qual a solução que estão buscando, e como incluir mais diferenciais da concorrência para se destacar.

E para te auxiliar ainda mais no processo, separamos abaixo algumas dicas e ideias para você criar um produto de sucesso, ou se já tem melhorá-lo ainda mais.

3 dicas para ter um produto de sucesso

Veja se tem demanda

A sua ideia pode ser genial, porém o que muitos esquecem é que mesmo que ela seja brilhante, para dar certo é preciso ter pessoas dispostas a comprar, caso contrário, não vai funcionar.

Seja o seu produto físico ou digital, você precisa saber se existe demanda para isso, tanto se o mesmo irá resolver um problema do seu público, quanto se as pessoas estão dispostas a pagar por ele.

Para descobrir se um produto tem demanda ou não, você pode realizar pesquisas com a sua própria base de clientes, caso já possua, e descobrir se há interesse de compra ou não.



E para você que ainda não tem um produto, ou até mesmo você que já tem, mas quer saber o que está dando certo para a concorrência e otimizar ainda mais, realize uma pesquisa de benchmarking.

Vamos detalhar o que é no próximo tópico.

Realize um benchmarking

Você já ouviu falar sobre benchmarking?

O benchmarking nada mais é do que uma pesquisa e análise detalhada e planejada de sua concorrência, buscando identificar pontos chave que podem ser incorporados em seu negócio para melhorar os seus resultados.

Agora, inserindo isso dentro do contexto de produto, o ideal é que você busque identificar quais são os pontos fortes do produto do concorrente que você pode aplicar no seu, ou até mesmo fazer melhor.

Foque na experiência do seu cliente

Sempre se pergunte como o seu produto pode ser melhorado, focando nele e não somente na maneira de como você oferece, e principalmente, tenha um único objetivo em mente: oferecer a melhor experiência para seus clientes.

Será que ele pode ser mais bonito? Oferecer um novo recurso? Ser maior? Mais personalizável?

Aqui não tem segredo.

Como em qualquer estratégia de marketing, no que diz respeito ao produto, você precisa entender de verdade o que o cliente deseja e entregar exatamente isso a ele. 

Assim o seu produto, com certeza, será um sucesso.

P de Preço

O segundo P dos 4 Ps do marketing é o preço, e ele nada mais é que o valor de venda do seu produto, ou seja, o quanto ele custa para a aquisição por parte do cliente.

Ele é fundamental para o sucesso do seu negócio, aliás se for muito baixo pode gerar até mesmo prejuízos para sua empresa, e se for muito alto pode assustar os clientes e atrapalhar o seu faturamento.

O que você precisa focar é em oferecer um preço justo para o mercado, porém que seja o suficiente para suprir as necessidades e obrigações do seu negócio. Aliás, ninguém quer criar um produto que leve a empresa à falência, não é mesmo?



Outro ponto que merece atenção é justamente você mostrar ao mercado como o seu negócio deseja se posicionar nele.

A grande pergunta é: como você quer que a sua marca, ou produto neste caso, seja percebida no mercado?

A Apple, por exemplo, é uma empresa com produtos de alto valor por ter agregado valor a sua marca ao longo de todos esses anos, milhões de pessoas optam por ter o celular ou computador com “a maçazinha”, mesmo que tenha outras opções no mercado.

Agora, a Amazon, por exemplo, quer ser o local onde você pode conseguir produtos de A a Z com o melhor custo-benefício, o seu foco não é ofertar produtos de alto valor, atingindo um público ainda maior, porém com um preço menor.

Não tem certo e nem errado, você precisa escolher como quer ser percebido pelas pessoas, se é uma Ferrari ou uma Ford.

Definir o preço de um produto não é uma tarefa tão simples, principalmente para quem está começando, por isso separamos abaixo algumas dicas para facilitar na hora da decisão.

Para simplificar ainda mais o entendimento, o P de Preço envolve decisões de:

  • Modelo de cobrança;
  • Variações regionais;
  • Políticas de descontos;
  • Condições de pagamento;
  • Formas de pagamento;
  • Entre várias outras.

Mas antes disso, não se confunda, preço é diferente de valor.

Diferença entre preço e valor

Sendo bem direta ao ponto, preço é o que você paga, a quantia em si, já o valor é o que você leva, ou seja, o resultado que terá ao comprar determinado produto.

Como negócio, o seu maior objetivo é sempre mostrar que o valor do seu produto é maior do que ele custa (preço).

E você conseguirá isso mostrando qual o grande resultado que a pessoa terá ao optar por comprar o seu produto, e fará uma comparação de valor VS preço, para que ela perceba que o preço é menor que o valor que você entrega.



Como ter um bom preço

Para definir um bom preço tanto para você quanto para sua audiência, é preciso entender e buscar respostas para 3 pontos, que são:

  • Pesquisa de mercado (que já falamos no tópico anterior);
  • Estudo e observação da concorrência;
  • Descobrir o quanto o seu cliente está disposto a pagar.

E essa percepção de valor (e não preço) por parte do consumidor depende do quanto ele enxerga de valor no seu produto.

Por isso que muitas vezes o produto A custa mais que o B apenas por ter uma embalagem melhor, ou seja, o cliente enxergou maior valor apenas por essa simples mudança e você pode fazer o mesmo com o seu produto.

Para te ajudar ainda mais a definir o preço ideal, confira abaixo algumas perguntas:

  • Que preço de venda os líderes do seu mercado praticam hoje?
  • Qual seria o preço mínimo viável para a venda do seu produto?
  • E quanto ao preço máximo aceitável?
  • Como é o seu preço em comparação com a sua concorrência?

P de Praça

A primeira vista o nome praça pode confundir algumas pessoas, mas ele é simplesmente o lugar onde o seu produto será ofertado.

Será um local físico, ou digital? Em seu site próprio, ou em um marketplace? Ou até mesmo nas redes sociais como uma página do Facebook ou Instagram?

Dentro deste “P” existem inúmeras possibilidades e preocupações que devem ser analisadas e elaboradas na hora do planejamento.

Isso porque você precisa saber exatamente a jornada de compra do seu cliente, em qual canal eles estão mais presentes e a partir disso, estabelecer a melhor “praça” possível.

Não analisar isso é como vender picolé no polo norte, e você já sabe o resultado disso, não é mesmo?

Por isso, se o seu negócio é um local físico escolha uma boa localização, e claro, que seja um ponto que seus potenciais clientes passem frequentemente.

E se você tem um negócio online, vende produtos físicos pela internet, ou até mesmo vende serviços, esteja onde seus clientes estão, caso contrário as chances de fracassar aumentam e sabemos que você não quer isso.

O ponto-chave é não esperar eles irem até você, mas sim você ir até eles.



Como ter uma boa praça

Como já citamos, se o seu negócio é um espaço físico, escolha um lugar com uma boa localização. Opte por locais movimentados e não muito afastado, pois isso pode prejudicar suas vendas.

Lugar físico é simples, mas e os negócios que vendem pela internet? 

Embora a localização (praça) possa parecer irrelevante quando estamos falando do mundo digital, ela de fato não é.

Imagine que você tem uma loja virtual e vende produtos de casa e construção, e decidiu colocar seus produtos no TikTok, consegue imaginar quais seriam os seus resultados?

Provavelmente nenhum.

Isso porque a grande maioria dos usuários do TikTok tem entre 16 a 24 anos, e seu público-alvo com produtos de construção, com certeza não seria esse, concorda?

Então, saber escolher as redes sociais e identificar como e onde os seus clientes estão acostumados a comprar é essencial para o sucesso em sua estratégia de marketing.

Segue abaixo algumas perguntas relevantes que podem te ajudar a definir a sua praça:

  • Em quais canais seus clientes estão?
  • Em quais plataformas ou locais o seu público costuma procurar pelo seu produto?
  • Quais estabelecimentos (online e offline) vendem o seu produto?
  • Quais as praças definidas pelos seus concorrentes?

É de extrema importância que a definição de sua praça faça sentido com os demais conceitos que citamos até agora, isso porque cada produto é único, e a praça deve conversar com o que você já definiu anteriormente.

Por exemplo, seu produto precisa de um preço mais competitivo? Então é melhor não optar por operações de grande custo logístico.

P de Promoção

Finalmente, chegou o último “P” dos 4 Ps do marketing, que nada mais é que a promoção.

Chegou a hora de promover o seu negócio.

Neste caso, a promoção significa o conjunto de ações com o foco em divulgar e promover sua marca e o que ela oferece, ou seja, seus produtos, de modo a fazer dela uma escolha natural quando surgir a necessidade em seus clientes.

A promoção engloba tanto os canais nos quais a divulgação irá ocorrer quanto a comunicação que irá transmitir a partir deles.

E não confunda promoção com descontos e liquidações, isso é um erro comum. Esse “P” de promoção refere-se às estratégias de marketing para conseguir vender seus produtos ou serviços.



Ele envolve decisões de:

  • Propaganda;
  • Promoção de vendas;
  • Publicidade;
  • Redes sociais;
  • Blog;
  • Influenciadores;
  • Entre outros.

Lembre-se estamos falando das estratégias de marketing, e não de descontos nem nada do tipo.

A promoção é tão importante quanto os demais pilares que citamos ao longo do conteúdo, isso porque sem ela você não tem vendas, e sem vendas não existe negócio.

Como fazer uma promoção de sucesso

A primeira dica – que vale ouro – é que a sua promoção deve condizer com o produto, ou seja, ela deve estar alinhada ao que o produto entrega. Caso contrário, você verá clientes insatisfeitos, já que você prometeu mais do que podia.

Antigamente a promoção se limitava a ações offline, seja em revistas, jornais, outdoors, comerciais, etc.

Porém, com a chegada da internet e das redes sociais, os consumidores de forma geral estão conectados, e todos os negócios precisam estar presentes. Por isso, os canais de marketing digital já assumiram protagonismo no P de Promoção.

Você pode investir no Inbound Marketing (a melhor estratégia atual de marketing digital), marketing de conteúdo, SEO, redes sociais, e-mail marketing, entre outras estratégias para melhor promoção do seu produto e negócio como um todo.

E como já citamos, o ideal é que você identifique os melhores canais para a promoção do seu produto e definir qual a melhor maneira de transmitir essa mensagem, colocando na conta aspectos como linguagem, tom de voz e comunicação visual.

Confira abaixo algumas perguntas que podem te ajudar na definição da sua promoção:

  • Quais canais sua audiência utiliza para consumir informações e conteúdo?
  • Que tipo de mensagem tende a trazer mais resultados na promoção de seus produtos?
  • Qual o período ideal para promover seu produto?
  • De que forma seus concorrentes realizam suas promoções?

Exemplos dos 4 ps do marketing em grandes empresas

Bom, o que você acabou de ver é a teoria por trás dos 4 Ps do marketing, mas e na prática?

Muitas empresas e negócios, desde pequenos a gigantes, aplicaram esta estratégia em seus canais e hoje colhem bons frutos, frutos bilionários digamos assim.

Assim, surgiram cases como Apple, Coca-Cola, Havaianas, Magazine Luiza que veremos com mais detalhes a seguir para que você possa ver os Composto de Marketing funcionando na prática, e até mesmo se inspirar para criar a sua própria estratégia.

Vamos lá?



Apple e os 4 Ps do Marketing

Apple é um exemplo dos 4 Ps do marketing bem nítido.

A gigante da tecnologia conta com uma legião de fãs ao redor do mundo, e claramente, adota a estratégia de diferenciação.

Isso porque a mesma investe em pesquisa e desenvolvimento de produto, com foco na construção de uma marca focada em proporcionar a melhor experiência para seus clientes. 

Ela faz questão de deixar bem claro seus valores para o mercado, sendo: inovação, design e criatividade, fazendo com que ela se diferencie e se destaque na mente do consumidor.

Com toda essa estratégia de branding e marketing, ela consegue posicionar o iPhone, seu carro-chefe, entre as opções mais caras dos smartphones ao redor do mundo.

Com isso, o consumidor percebe o valor da marca que está comprando e quer o status social que ela carrega, o tal do “quero um celular da maçazinha”, e não se importa em pagar mais caro pelo produto.

Na hora da distribuição, a Apple oferece canais de venda tanto online quanto offline (praça). No e-commerce próprio ou nas lojas multimarcas, ou seja, facilitando ainda mais o processo de compra para o consumidor.

Por fim, no P de promoção, a gigante investe na antecipação, uma estratégia valiosa de marketing que faz com que os seus produtos criem filas e filas de pessoas ansiosas para comprar, antes mesmo de estarem disponíveis.

A cada lançamento, ela solta informações aos poucos e anuncia suas novidades em eventos grandes, que estimulam e incentivam ainda mais o buzz nas redes.

Sem contar que a mesma investe pesado em design, trazendo mais exclusividade para o negócio de forma geral.

Coca-Cola e os 4 Ps do Marketing

coca-cola-4-ps-do-marketing

A Coca-Cola é uma empresa gigante do segmento de bebidas, e já tem mais de 100 anos de história, com sua fundação em 1886.

E ela, por sua vez, tem os quatro pilares básicos bem definidos.

O produto é sinônimo para bebidas feitas à base de cola. Mesmo que ao longo do tempo, sofreu pequenas transformações para diversificar a oferta, ainda ficou o sabor inconfundível para os fãs.

Hoje em dia, com a demanda de uma alimentação mais saudável, há versões com menores quantidade de açúcar e baixas calorias.

Agora falando sobre o seu preço, a mesma é acessível para todas as classes sociais, além de se ajustar em diversos tipos e tamanhos para atender todas as necessidades do seu público-alvo.

Quando estamos falando sobre a praça, a Coca-Cola só possui venda física, mas em escala global, literalmente. São mais de 200 países nos quais está presente nos dias de hoje.



E sobre a promoção? Bom, eles investem pesado nisso, e fazem o trabalho muito bem feito.

Eles estão em todos os lugares, em filmes, anúncios, outdoors, comerciais, redes sociais, site, jornais, revistas, eventos, e até em Marte se duvidar.

Além de ser apoiadora em importantes causas sociais, a Coca-Cola está sempre em evidência.

Existem pessoas que dizem que ela não precisa mais de marketing, porém os resultados e o sucesso estrondoso pela forma como utiliza os 4 Ps de marketing mostram o contrário.

Como surgiu o conceito dos 4 Ps do Marketing?

Por volta da década de 1960, vários autores procuraram estabelecer classificações para as variáveis do Composto de Marketing.

No ano de 1961, Albert Frey propôs que elas fossem classificadas em dois fatores: 

  • Oferta (produto, embalagem, marca, preço e assistência);
  • Métodos e meios (canais de distribuição, venda pessoal, publicidade, promoção de vendas e propaganda). 

Logo em 1962, Lazer e Kelley propuseram três fatores: 

  • Bens e serviços;
  • Distribuição;
  • Comunicação.

Porém, foi uma classificação de 1960 que se popularizou no marketing. 

Naquele ano, no livro “Basic Marketing: A Managerial Approach”, Jerome McCarthy propôs as quatro variáveis do Mix de Marketing:

  • Preço;
  • Produto;
  • Praça;
  • Promoção.

O responsável por popularizar esse conceito foi o conhecido Philip Kotler, considerado o pai do marketing moderno. 

Em seu livro lançado em 1967, “Marketing Management”, o autor apresentou essas variáveis, citando McCarthy, como a principal classificação do Composto de Marketing.

A partir disso, os 4 Ps do marketing estão presentes em todas as aulas de marketing e negócios ao redor do mundo inteiro.



Afinal, qual a importância do composto de marketing?

Ao longo deste conteúdo, deixamos claro que os 4 Ps são componentes básicos de um bom planejamento de marketing.

E depois de todo esse conteúdo, você já sabe bem disso.

Seguindo este conceito, suas ações irão se alinhar e seus resultados consequentemente serão cada vez maiores e melhores. 

Isso porque esse conceito não surgiu do nada e ninguém o conhece, mas o mesmo vem de décadas atrás e proporciona grandes resultados até hoje.

Para isso, basta entender que um bom produto facilita a aceitação do preço pelo mercado, ao mesmo tempo em que a disponibilidade dele (praça) torna a promoção mais eficaz.

O uso desta metodologia dos 4 Ps do marketing também oferece equilíbrio para diversas empresas se manterem presentes na rotina do consumidor.

Porque de nada adianta ter um excelente produto se o mesmo não chega nas mãos de seus potenciais clientes, ou até mesmo tem um valor tão baixo que não suporta os custos do negócio, concorda?

Porque de nada adianta ter um ótimo produto se não chega a quem tem interesse nele, ou um valor promocional que não cobre as despesas de sua distribuição.

Então, sua importância vai até muito além apenas do marketing de um produto, mas sim do negócio de forma geral.

Para finalizar…

Agora que você já sabe o que são os 4 Ps do marketing e como esse conceito funciona na prática, basta colocar a mão na massa e aplicar isso em seu negócio, e o melhor, ver os resultados. 

E para triplicar os seus resultados no médio a longo prazo é essencial que você conte com uma boa estratégia de marketing digital para o seu negócio, já citamos ao longo deste conteúdo, mas vale falar novamente sobre o Inbound.

Se você não tem uma ideia de como aplicar isso, conheça o Guia Definitivo do Inbound, onde você aprenderá como aumentar as vendas online do seu negócio, ou até mesmo começar a vender do zero.

Agora queremos saber sua opinião sobre este conteúdo, deixe nos comentários, se ele te ajudou de alguma forma ou se ficou alguma dúvida.

Recomendados para você

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *